sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Culminância do projeto " O SER NA TRADIÇÃO dos alunos do Infantil 03, 04 e 05.

Painel com o nome do Projeto
Alunos do Infantil 04 apresentaram a lenda da mandioca
Personagens Folcloricos
Alunas do Infantil 04 apresentando a dança da mulher rendeira
Alunos do Infantil 03 e a professora Joyce apresentando a brincadeira da margerida

Culminância das atividades folclóricas realizadas no mês de Agosto


Livro confeccionado pelo grupo  B






Livro confeccionado pelo grupo A

Apresentação da " Fábula a onça e o bode"
Apresentação da  "Lenda da Jericoacoara"
O aluno Carlos Júnior do 2º ano e a aluna Larissa do 3º ano -- "apresentaram a brincadeira  de roda Terezinha de Jesus"
As alunas do 7º ano  -  "apresentando a dança do coco"
Participação da comunidade no bazar
                                                Pais fazendo compras no bazar









sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Escola de cajueirinho I é beneficiada com "Programa Mais Educação"

 

O projeto visa contribuir para a formação e atenção integral de crianças e adolescentes,  por meio da realização de ações sociais e educativas em escolas.



terça-feira, 14 de agosto de 2012

O Folclore são os costumes e tradições de um povo que são passados de geração em geração



Durante o mês de agosto destaca-se a experiência cultural da comunidade. Na escola, várias atividades são desenvolvidas e muitos aspectos da cultura local são evidenciados. As adivinhas, parlendas, poesias, trava-línguas ganham destaque nesse período. Trabalha-se a cotação de estórias, de lendas, fábulas, piadas para enriquecer as atividades. No dia 31 /08, pela manhã, haverá a culminância do projeto da Educação Infantil O SER NA TRADIÇÃO  onde os alunos farão desfile dos personagens folclóricos, danças, brincadeiras e outras atividades realizadas em sala . A tarde, além de um bazar, terá as seguintes apresentações:
 #Apresentação de uma lenda e de uma fábula;
#Confecção de cadernos com desenhos dos personagens folclóricos e de trava-línguas, parlendas e provérbios;
#Apresentação de uma brincadeira de roda e de uma dança folclórica;
#Classificatória de trava-línguas.

Segue abaixo um pouquinho da lenda de alguns dos personagens do folclore brasileiro.
Cada um nasceu em uma período e tem como marca a história de um povo derivado de diferentes regiões do país.


Saci pererê


O saci possui apenas uma perna, usa um gorro vermelho e sempre está com um cachimbo na boca.
Inicialmente, o saci era retratado como um curumim endiabrado, com duas pernas, cor morena, além de possuir um rabo típico.
Sua principal característica são as travessuras, entre elas, amarrar o rabo dos cavalos.
Segundo a lenda, o Saci está nos redemoinhos de vento e pode ser capturado jogando uma peneira sobre os redemoinhos.
Após a captura, deve-se retirar o capuz da criatura para garantir sua obediência e prendê-lo em uma garrafa.
Conta a lenda que esses seres danados nascem nos brotos de bambu.

Vitória-Régia

A lenda da vitória-régia é muito popular no Brasil, principalmente na região Norte. Diz a lenda que a Lua era um deus que namorava as mais lindas jovens índias e sempre que se escondia, escolhia e levava algumas moças consigo. Em uma aldeia indígena, havia uma linda jovem, a guerreira Naiá, que sonhava com a Lua e mal podia esperar o dia em que o deus iria chamá-la.

Os índios mais experientes alertavam Naiá dizendo que quando a Lua levava uma moça, essa jovem deixava a forma humana e virava uma estrela no céu. No entanto a jovem não se importava, já que era apaixonada pela Lua. Essa paixão virou obsessão em um momento onde Naiá não mais queria comer nem beber nada, só admirar a Lua.

Numa noite em que o luar estava muito bonito, a moça chegou à beira de um lago, viu a lua refletida no meio das águas e acreditou que o deus havia descido do céu para se banhar ali. Assim, a moça se atirou no lago em direção à imagem da Lua. Quando percebeu que aquilo fora uma ilusão, tentou voltar, porém não conseguiu e morreu afogada.

Comovido pela situação, o deus Lua resolveu transformar a jovem em uma estrela diferente de todas as outras: uma estrela das águas – Vitória-régia. Por esse motivo, as flores perfumadas e brancas dessa planta só abrem no período da noite.


Negrinho do Pastoreio

Esta lenda vem do sul do Brasil, de origem meio africana e meio cristã.
Conta a lenda que havia um menino negro que trabalhava para um senhor muito rico e malvado que não gostava de negros e nem de peões.
O menino era maltratado pelo patrão toda vez que fazia algo de errado, uma das vezes, foi por ter perdido um de seus cavalos. O patrão malvado acabou amarrando o menino em cima de um formigueiro, o mesmo ficou todo machucado. No outro dia o patrão foi vê-lo e para sua surpresa o menino estava com a pelo lisa, sem nenhuma marca. Ao seu lado estava Nossa Senhora, e vários cavalos. O patrão arrependido do que havia feito pediu perdão, mas, o Negrinho do Pastoreio, nada respondeu, beijou a mão da Santa, subiu em um dos cavalos e partiu levando os demais baios.

Mula sem cabeça

A Mula sem Cabeça é uma das principais lendas do folclore brasileiro. A lenda diz que toda mulher que tivesse pensamentos ou relações amorosas com um padre se tornaria uma mula-sem-cabeça. Esse monstro possuía a forma de uma mula marrom ou preta, sem a cabeça, soltando fogo na região de onde seria esse membro. Além disso, a mula-sem-cabeça tinha cascos de aço ou prata e um relincho que poderia ser ouvido a muitos metros de distância.




Curupira

Protetor da floresta e dos animais, o Curupira é um menino muito esperto que tem os cabelos vermelhos e os pés voltados para trás, ele tem os pés dessa forma para enganar os caçadores e todos aqueles que querem destruir o seu lar.
Um dos truques do Curupira é jogar um encanto nos caçadores para que esses se percam na floresta.





Boitatá

O Boitatá é o gênio que protege as campinas e sempre castiga os que põem fogo no mato.
Quase sempre ele aparece sob a forma de uma cobra muito grande, com dois olhos enormes, que parecem faróis. Às vezes, surge também com a aparência de um boi gigantesco, brilhante.



Boto Rosa
Ao cair da noite na Amazônia, o boto cor-de-rosa deixa os rios e transforma-se em um lindo e sedutor rapaz, que sai em busca de uma garota para namorar. Além de galante e sedutor, o boto dança como ninguém e enfeitiça as meninas indefesas. De madrugada, o namorador volta para o rio, onde se transforma de novo em boto.
Essa é uma lenda contada na floresta amazônica para explicar por que tantas meninas têm filhos sem pai: são todos filhos do boto.
Boi Bumbá

Conta-se a lenda que grávida, Mãe Catirina desejava comer a língua do boi mais bonito da fazenda onde vivia, o que leva seu marido, o peão Pai Francisco, a matar o animal de estimação de seu patrão. O homem é descoberto e preso. Para salvar o boi, o amo manda chamar um médico e um padre, que acabam conseguindo ressuscitar o animal. Pai Francisco é perdoado e todos iniciam uma grande festa.


Folclore Brasileiro em Cordel

01
A CULTURA BRASILEIRA
É VISTA NO PAÍS INTEIRO
É BASTANTE CONHECIDA
ELA TEM UM BOM ROTEIRO,
COM JESUS VOU ENCONTRAR
BOA FORMA DE FALAR
SOBRE O FOLCLORE BRASILEIRO.

02
VINTE DOIS DE AGOSTO
É O DIA NACIONAL
DEDICADO AO FOLCLORE
ESSA FESTA CULTURAL,
EM TODAS AS REGIÕES
O POVO FAZ COMEMORAÇÕES
DE UMA FORMA ESPECIAL.

03
FOLCLORE É UM CONJUNTO
DE MUITAS MANIFESTAÇÕES
DE CARÁTER POPULAR
CHEIO DE DEFINIÇÕES,
SÃO COSTUMES DIFERENTES
FEITO POR DIVERSAS GENTES
MOSTRANDO SUAS TRADIÇÕES.

04
É O CONJUNTO DE ELEMENTOS
ARTISTICAMENTE FALANDO
DE UM POVO PARA OUTRO
ELE VAI SEMPRE RESALTANDO
O CARÁTER TRADICIONAL
ESSE COSTUME CULTURAL
O POVO VAI PRATICANDO.

05
ELE É SEMPRE TRANSMITIDO
DE UMA CERTA GERAÇÃO
PARA OUTRA ATRAVÉS
DE SUA PRÁTICA ENTÃO,
OS PAIS ENSINAM OS FILHOS
A SEGUIREM ESSE TRILHO
COM MUITA DETERMINAÇÃO.

06
O FOLCLORE APRESENTA
O TEATRO E A DANÇA
APRESENTA TAMBÉM A MÚSICA
POR ADULTOS E CRIANÇAS,
A ARTE PLÁSTICA APARECE
E O POVO NÃO ESQUECE
DE MOSTRAR ESSA LEMBRANÇA.

07
O FOLCLORE BRASILEIRO
TEM UMA GRANDE BELEZA
É O MAIS RICO DO MUNDO
ISSO EU FALO COM CERTEZA,
O PORTUGUÊS E O AFRICANO,
O ALEMÃO E O ITALIANO
COLABORAM COM FIRMEZA.

08
"FOLK" QUER DIZER POVO
"LORE" SIGNIFICA O SABER
O CONHECIMENTO, O COSTUME
O JEITO DE PROCEDER
POR ISSO POSSO AFIRMAR
QUE É A FORMA DE IMITAR
DE OUVIR E TAMBÉM DE VER.

09
AS DANÇAS DO FOLCLORE
SÃO O BAIÃO E A CONGADA,
A CHULA, O CATARERÊ,
A JARDINEIRA E A MARUJADA,
AINDA TEM A CHIMARRITA
UMA DANÇA MUITO BONITA
NELE TAMBÉM É ENCONTRADA.

10
NA REGIÃO NORDESTINA
ELE É BEM APRESENTADO
EXISTE A CUCA E O LOBISOMEM
O SACIPERERÊ É ENCONTRADO,
CAIPORA E CURUPIRA
BICHO-PAPÃO ALGUÉM VIRA
TUDO ISSO É ENGRAÇADO.

11
EXISTEM OS DITOS POPULARES
EXISTEM ADVINHAÇÕES,
BRINCADEIRAS DE INFÂNCIA
TRAVA-LÍNGUA, UMA BOA DIVERSÃO
RITOS E TRADIÇÕES
ESSAS MANIFESTAÇÕES
O POVO TEM NO CORAÇÃO.

12
O FOLCLORE É UMA LENDA
NÃO É UMA REALIDADE
ELE É UMA BRINCADEIRA
QUE ESCONDE A VERDADE,
É UMA IMAGINAÇÃO
ALGO SEM COMPROVAÇÃO
FEITO COM CRIATIVIDADE.

13
O FOLCLORE NÃO É CONCRETO
ELE É UMA FICÇÃO
É ALGO SEM FUNDAMENTO
UMA MERA INVENÇÃO
BOM É A GENTE ACREDITAR
E PARA SEMPRE CARREGAR
JESUS EM NOSSO CORAÇÃO.


ACRÓSTICO

FAZ PARTE DA NOSSA CULTURA
O BRASIL TODO APRECIA
LINDAS MANIFESTAÇÕES
CRESCEM A CADA DIA,
LEVA MAIS A FICÇÃO
O VERDADEIRO NENGUÉM VER
REALIDADE E CERTEZA
ELE NÃO FAZ A GENTE TER.




segunda-feira, 13 de agosto de 2012

PARABÉNS PAPAI !!!

video

  Entrega de prêmios para os pais sorteados 

  Torneio  de futsal entre os pais
 Apresentação dos alunos do projeto música
 Aluna do 1º ano homenageia os pais

11 de Agosto é o dia do Estudante. O futuro te espera!










Entrega de prêmios para os alunos sorteados

Passeio dos alunos para  o açude em  homenagem ao dia do estudante



terça-feira, 7 de agosto de 2012

Meu Pai... Meu herói!


Recados para Facebook


Um Pai é …

Alguém para se orgulhar,

alguém para se agradecer,

alguém para se amar e,

especialmente,

alguém para se homenagear.

 

Por isso convidamos-lhe a participar de uma festinha em sua homenagem.

 

Dia : 10 / 08 / 12

Hora : 15: 30h

Local : Escola